Tem funcionários na linha de frente do combate à pandemia? Cuide da saúde deles!

Celebrado no dia 7 de abril o Dia Mundial da Saúde  foi instituído pela Organização Mundial da Saúde (OMS)  para conscientizar a população a respeito dos cuidados físicos e mentais necessários.

Desde o início da pandemia, nunca fez tanto sentido falarmos em saúde. Principalmente para quem atua na linha de frente no combate ao coronavírus.

Desde o ano passado, os supermercados, considerados serviços essenciais para a população, mantiveram-se abertos e os funcionários imediatamente ficaram expostos ao maior risco de contrair a doença. Além de lidar diariamente com o medo de adoecer, muitas pessoas ainda precisaram conviver com dor de perder uma pessoa querida.

Para quem está à frente da gestão dos supermercados, prestar atenção à saúde física e mental das suas equipes  é essencial e pode fazer toda a diferença para ajudar a manter um clima saudável e positivo.

A Associação Brasileira de Supermercados (ABRAS) desenvolveu uma cartilha de orientações que pode ser acessada aqui.

1. Diálogo é essencial

Reunir as equipes com frequência para alinhar os assuntos do dia a dia é fundamental. Nesses momentos, os gestores devem aproveitar para conversar abertamente sobre a pandemia, os sentimentos dos trabalhadores e dar dicas sobre como conduzir os desafios que surgirem. Oferecer equipamentos de proteção como máscaras e álcool em gel, orientar para o tratamento adequado aos clientes sem muita aproximação, incentivar os funcionários a evitar o excesso de informações negativas que geram muita ansiedade, e apoiar caso alguém fique doente ou precise se afastar, é papel da alta gestão do supermercado.

2. Incentive hábitos saudáveis

O coronavírus ainda requer muitos estudos por parte da ciência, mas já sabemos que estar com a saúde em dia pode fazer toda a diferença em caso de contaminação. Estimular a ingestão de água, frutas, alimentos mais saudáveis e inclusive oferecê-los à equipe é uma boa ideia. Atente-se à rotina dos trabalhadores já que estar sobrecarregado faz os níveis de stress aumentarem rapidamente. Fique de olho também nas questões emocionais, peça para os líderes prestarem atenção aos comportamentos e atuarem de forma proativa conversando, orientando e dando a devida atenção para quem necessita.

3. Caixas atentos à higiene

Os operadores de caixa ficam em contato direto com os produtos e clientes, por isso, além de máscaras ideais para a função e álcool sempre disponível por perto, precisam cuidar com a manipulação de moedas, dinheiro, e outros objetos ou superfícies que possam estar contaminadas. Reforce as orientações para que não haja contato com a boca, nariz ou olhos e a limpeza constante das mãos.

4. Em caso de sintomas, afaste o colaborador

Assim que apresentar os primeiros sintomas, mesmo sem comprovação laboratorial, é interessante afastar o funcionário já que a contágio é muito rápido. O funcionário deverá ser afastado, orientado a manter isolamento domiciliar por 14 dias e a procurar serviço médico se tiver febre alta ou dificuldade respiratória e os contatos próximos deverão ser orientados e monitorados quanto ao aparecimento de sintomas. Não há necessidade de afastamento dos contatos assintomáticos. A área de trabalho deverá ser higienizada com água sanitária ou álcool a 70%.

Gostou? Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Últimos posts